Como Funciona a Segurança da Blockchain do Bitcoin

Entenda o quão seguro é comprar e vender bitcoins através da blockchain

Artigo publicado por Samira Souza nas categorias: Bitcoin

O Bitcoin ainda é alvo de muito preconceito. Dentre os mais variados questionamentos (e críticas), nós podemos citar a questão da segurança como um dos maiores motivos que faz com que as pessoas decidam não investir o seu dinheiro nas criptomoedas.

No post de hoje, nós explicaremos como funciona a segurança da Blockchain do Bitcoin, o que irá fazer com que muitas dúvidas acerca da segurança dessa moeda sejam respondidas.

Segurança no blockchain do Bitcoin

Pronto para saber mais sobre o assunto? Continue a sua leitura!

A autenticidade de cada token depende da Blockchain do Bitcoin

Cada token (ou unidade) de Bitcoin precisa ser autêntico para ter valor. Diferente do que muitas pessoas imaginam, essa moeda apresenta uma rigorosa tecnologia que garante o valor e a sua existência.

Essa rigorosa tecnologia se chama Blockchain, e sua utilização vem sido ampliada nos últimos anos justamente pela sua eficácia. No Bitcoin, ela garante que o mesmo token não seja transferido duas vezes e que o objeto da transação seja completamente real, fazendo com que a moeda realmente flua entre as pessoas.

Todo indivíduo que compra um Bitcoin em sua carteira virtual automaticamente recebe a sua própria identificação. Essa identificação é única, e funciona como uma espécie de “documento” virtual intransferível, que demonstra quem é a pessoa que está do outro lado da tela (note que essas informações são privadas e de difícil acesso).

Quando duas pessoas efetuam uma transação, ela se torna organizada em forma de “blocos” de dados (ou informação), e em seguida o sistema avalia a autenticidade dos registros de ambas as partes.

De maneira simplificada, o próprio sistema avalia através da rede se os dados conferem. Somente após essa validação que todo o processo de transferência acontece.

Até o momento nunca aconteceu de um mesmo bitcoin ser transferido duas vezes, ou de algum minerador forjar algum token de maneira indevida.

A descentralização da informação aumenta a segurança de todos os usuários

Acima nós falamos que todo o sistema avalia a autenticidade dos registros de ambas as partes, correto? Isso significa dizer que a própria natureza livre do Bitcoin faz com que várias outras máquinas que fazem parte do sistema sejam obrigadas a validar a transação entre outros usuários — mesmo que eles não façam parte daquela movimentação.

Isso significa dizer que para burlar o sistema Blockchain seria necessário que um usuário conseguisse fraudar outras máquinas, o que aumenta exponencialmente a dificuldade de qualquer tipo de golpe.

Muitas pessoas consideram que esse tipo de fraude atualmente seja impossível, o que apesar de parecer uma previsão otimista para alguns, ela está bem próxima da realidade.

Obviamente, nenhum sistema está livre de falhas. Entretanto, é preciso dizer que o Bitcoin pode ser considerado mais seguro que muitas instituições financeiras, que com certa frequência passam por problemas de vazamento de informações pessoais ou mesmo de dados bancários, mesmo com toda criptografia presente.

O sistema de corrente de blocos (ou Blockchain) é considerado uma das maiores inovações tecnológicas dos últimos anos. Para conseguir criar um bloco de informação falso (como um token que não existe), é necessário um esforço tão grande e tão complexo que levaria — em tese, e nos momentos atuais — mais tempo do que a mineração dessa criptomoeda.

Esperamos que com esse artigo você tenha entendido um pouco sobre o complexo tema da segurança da Blockchain do Bitcoin. Ficou com alguma dúvida? Tem alguma coisa a dizer sobre o tema? Comente abaixo — nós estamos ansiosos pela sua opinião!



Comente!




*Campos obrigatórios