É Seguro Comprar Bitcoin?

Entenda mais sobre os procedimentos de segurança na compra de bitcoins

Artigo publicado por Samira Souza nas categorias: Bitcoin

O mercado de criptomoedas vem crescendo muito nos últimos anos, e uma das que mais vêm fazendo sucesso é o bitcoin. Porém, existe ainda uma certa aura de insegurança e dúvida em relação ao fato de comprar bitcoin, uma vez que muitos investidores duvidam da capacidade dessa moeda digital de preservar os fundos que foram investidos.

bitcoin e a segurança

Trata-se também de uma questão prática: a maioria das pessoas não confia num ativo que, em tese, não “existe”, ou que, pelo menos, não podem tocar ou ver.

Se você também faz parte desse grupo, então continue lendo esse post e entenda de uma vez por todas se comprar bitcoin é realmente um investimento seguro.

Confira!

Comprar bitcoin: Onde tudo se sustenta

Antes de falar sobre o nível de segurança que cerca o bitcoin, é necessário mencionar, antes, a rede no qual ele se sustenta, que é a Blockchain. Em termos gerais, esta é uma rede que faz registros de transações de forma (o que é a sua principal característica) descentralizada e autônoma.

E, é na Blockchain que reside a confiança que se pode ter ao comprar bitcoin, pois, ela não só é uma rede segura, mas também super transparente, que dá privacidade ao investidor, sendo praticamente impossível de sofrer violações por agentes externos, como hackers, por exemplo.

Agora você deve estar se perguntando: Mas porque devo confiar na rede Blockchain?

Bom, a resposta é simples! Quando uma transação com bitcoin é feita, o seu registro fica numa espécie de bloco de rede. É, então, que essa transação começa a ser auditada por nós e mineradores, facilitando, assim, a fiscalização da rede.

A segurança de um é a segurança de todos

Claro que podem surgir algumas dúvidas, do tipo: E, se o usuário quiser gastar o mesmo bitcoin duas vezes, por exemplo? Graças ao aparelhamento e ao suporte dado pelo Blockchain isso não é possível, pois, automaticamente o sistema dará uma das transações como inválida.

E, tem um aspecto muito importante, que faz com que uma transação com bitcoin seja confiável.

A partir do momento que um usuário tentar burlar o sistema, todos os demais perdem, já que se trata de um investimento compartilhado, o que torna algo bem lógico: a extensa maioria das pessoas que estão ali, investindo, vai lutar para que a plataforma seja a mais confiável possível.

Além disso, há mais outro detalhe: o investidor que desejar fraudar qualquer transação envolvendo o bitcoin terá que fazer isso não somente com a última transação feita, mas, com todas as outras que virão a partir dela, o que, na prática, criaria uma nova rede.

Enquanto isso, o restante da rede original continuaria validando as transações corretas através da cadeia virtual original, o fraudador ficaria mais e mais isolado, o que não compensaria. Sim, nesse caso, o fraudador poderia tomar conta da rede inteira, mas, estamos falando de mais de 50% do poder total da rede, o que tornaria todo o esquema inviável.

Procedimentos confiáveis

Fora essas questões, digamos, mais “técnicas”, ainda há aqueles procedimentos que dificultam ainda mais a ocorrência de qualquer tipo de fraude nesse sistema.

Alguns desses procedimentos incluem: dupla identificação ao sacar o dinheiro através de e-mail, autenticação via aplicativo Authy, necessidade do envio de documentos com selfie para depósitos de dinheiro, utilização de Phishing (palavra de segurança) e certificado SSL.

Como se vê, as precauções são muitas, desde os procedimentos para depósito e saque de dinheiro, até a própria plataforma onde o serviço está inserindo, proporcionando, assim, a tão procurada segurança que muitos querem.



Comente!




*Campos obrigatórios