Crédito Educativo: Vale a Pena?

Saiba se o crédito educativo é, realmente, um bom negócio

Artigo publicado por Samira Souza nas categorias: Seu Dinheiro

Entrar na Universidade está muito mais fácil hoje que há 15 anos atrás, isso é fato. Nunca antes na história do Brasil tivemos tantas vagas, tanto nas universidades públicas quanto nas instituições privadas. O problema é que o volume de vagas da primeira opção não acompanhou o crescimento do número de pessoas que gostariam de continuar estudando.

Portanto, muitos brasileiros precisam recorrer a universidade privada, já que a atual metodologia de seleção de universitários para as faculdades públicas privilegiam os mais ricos, que conseguiram pagar uma boa escola particular para os seus filhos.

O problema é que encarar as mensalidades das instituições privadas mais tradicionais do Brasil também é para poucas pessoas. Os que não conseguem pagar as mensalidades acabam basicamente tendo duas opções: tentar ganhar uma bolsa de estudos ou então recorrer ao chamado crédito educativo.

crédito educativo

Mas o que é crédito educativo?

O crédito educativo é uma espécie de financiamento, ou de empréstimo, onde uma entidade financeira banca o pagamento das mensalidades dos estudantes durante todo o período do curso. Mas os alunos, quando se formarem, precisam ressarcir esta entidade financeira, pagando os valores atualizados com juros e também com as correções monetárias correspondente.

empréstimo educativo

E o problema justamente está nestes acréscimos, que podem se tornar uma bola de neve para os formandos. Vale lembrar que sair de uma faculdade não é garantia de emprego, e em algumas áreas conseguir trabalho logo depois que o aluno se forma é bem complicado.

Por outro lado, o gasto em educação não pode ser considerado um dinheiro colocado fora, muito pelo contrário. Este gasto é um investimento, e especialistas garantem se tratar de um dos investimentos mais seguros do mundo, já que as pesquisas comprovam que as pessoas com maior grau de instrução ganham mais com o passar dos anos.

Por isso, se o aluno realmente não tem condições de pagar a mensalidade sem recorrer a financiamentos, o crédito educativo é recomendado. Mas é importante ficar de olho em alguns aspectos.

Dicas para conseguir o seu crédito educativo

  • É fundamental que as pessoas leiam atentamente todas as informações que constam no contrato que será assinado antes de fechar o crédito educativo, especialmente a parte onde são descritos todos os juros que serão cobrados no futuro;
  • Um outro item fundamental que deve ser observado pelos estudantes é a questão do tempo que a pessoa terá para pagar o valor do crédito depois que se formar. Algumas instituições financeiras exigem que os estudantes comecem a pagar logo depois que se formam, no mês seguinte. Já outras instituições acabam dando alguns meses para que o estudantes consigam ter tempo suficiente para conseguir um emprego;
  • Atualmente a melhor opção de crédito educativo disponível no Brasil é o FIES. Ele é um crédito concedido pelo Governo Federal, através da Caixa Econômica Federal, e conta com as menores taxas de juros do mercado e também oferece alguns meses para que o estudante comece a pagar as prestações do financiamento. Também existem algumas outras opções de pagamento, como é o caso de professores que podem pagar parte da dívida com trabalho.


Comente!




*Campos obrigatórios